Alerta aos profissionais de saúde sobre a Covid-19

Atualizado: Mai 2

Nosso compromisso e determinação para combater a pandemia de COVID-19, que atinge mais de 100 países com mais de 124,905 casos e avança rapidamente.

A ameaça se tornou real, porém não somos reféns deste vírus, temos como vantagens as atitudes que podemos tomar - como OMS, Ministério da Saúde, CRO-DF, ABO-DF, comunidades, famílias, indivíduos assim como todos profissionais da saúde podemos e devemos influenciar diretamente a trajetória dessa pandemia.

Precisamos lembrar que, com uma ação decisiva e precoce, podemos desacelerar o vírus e prevenir infecções. Entre aqueles que estão infectados, a maioria se recuperará.

Também é importante lembrar que analisar apenas o número total de casos relatados e o número total de países não conta a história completa.

Diferentes países estão em diferentes cenários, exigindo de nós uma resposta personalizada a cada realidade.

Nós profissionais da área de saúde estamos no corpo-a corpo nesta linha de batalha, juntamente a estratégias combinadas para controlar o COVID-19, iremos empurrar esse vírus mortal de volta. A exemplo de outras batalhas que vencemos, esta não será a primeira nem a última que venceremos juntos.

A OMS consolidou nossa orientação para os países em 4 categorias: aqueles sem casos; aqueles com casos esporádicos; aqueles com aglomerados; e aqueles com transmissão comunitária.

Para todos os países, o objetivo é o mesmo: interromper a transmissão e impedir a propagação do vírus.

Os elementos fundamentais da resposta são os mesmos para todos os países:

Comunicação de risco e engajamento público;

Medidas de saúde pública, como higiene das mãos, etiqueta respiratória e distanciamento social;

Testando em laboratório;

Prevenção e controle de infecções;

E uma abordagem de toda a sociedade e de todos.

Os profissionais da área da saúde devem seguir protocolos padrões de atendimento a pacientes com suspeita ou caso confirmados de coronavírus (COVID-19). Conheça as orientações do Ministério da Saúde com medidas de prevenção e controle para cada etapa de atendimento:

1-Desde o primeiro atendimento, a pessoa com suspeita de novo coronavírus deve utilizar máscara cirúrgica.

2- O atendimento da pessoa com suspeita de COVID-19 deve ser realizado em sala privativa ou com menor circulação de pessoas, mantendo a porta fechada e o ambiente ventilado.

3- Os profissionais da saúde devem realizar higiene adequada das mãos, respeitando os cinco momentos de higienização:

a– antes de contato com a pessoa;

b– antes da realização de procedimento;

c– após risco de exposição a fluidos biológicos;

d– após contato com a pessoa;

e– após contato com áreas próximas à pessoa, mesmo que não tenha tocado a pessoa, cuidando direta ou indiretamente da pessoa.

4- O profissional deve usar equipamento de proteção individual (EPI):

A- protetor ocular ou protetor de face B- luvas C- capote/ avental/ jaleco D- máscara N95/PFF2 (ou outras máscaras com eficácia mínima na filtração de 95% de partículas de até 0,3µ tipo N99, N100 ou PFF3), sempre que realizar procedimentos geradores de aerossóis. Para realização de outros procedimentos não geradores de aerossóis, avaliar a disponibilidade da N95 ou equivalente no serviço. Não havendo disponibilidade, é obrigatório o uso da máscara cirúrgica.

A regra é enfrentar este momento com todos recurso e dispomos e não desistir

Que a esperança seja o antídoto para o medo.

Que a solidariedade seja o antídoto para a culpa.

Que nossa humanidade compartilhada seja o antídoto para nossa ameaça compartilhada.

Dra. Camille Vanini CRO- 8147 11/03/2020

Baseado: OMS (Organização Mundial da Saúde) e Ministério da Saude (com modificação).

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo